Sem sair da toca

Exercitar-se em casa é possível, mas é preciso a orientação de um profissional da área

 

Atividade física e exercício físico. Você sabe a diferença entre ambos? Segundo a Organização Mundial de Saúde (OMS), a primeira se refere a qualquer movimento do corpo que resulte em gasto energético. Exemplo: lavar roupa, varrer o chão, esfregar o azulejo. Já o segundo trata de um trabalho físico programado com objetivos definidos. Exemplo: musculação, pilates, corrida.

Nos dias de hoje, com a popularização do personal trainner ficou fácil exercitar-se sem sair de casa. Estes profissionais vão até o aluno e montam um treinamento sob medida para atingir seus objetivos. O interessado não precisa ficar preocupado por não ter o aparato das academias de ginástica. “Hoje é muito difundido o crosstrainig, treinamento de peso e condicionamento físico que utiliza apenas acessórios e não máquinas”, explica o preparador físico Wanderley Santos, professor da Cia Athlética do Shopping Morumbi.

O atendimento personalizado permite ao aluno ser avaliado a cada aula. Dessa forma, o preparador faz alterações no treino do seu pupilo com frequência para que ele atinja seus alvos com mais rapidez. Observação: em uma academia, trabalha-se um treino mais geral.

No entanto, exercitar-se em casa sem auxílio algum é risco grande. “Seria como pedir para uma pessoa se defender na justiça sem um advogado”, diz Santos. Sem orientação, há um perigo muito grande da pessoa se machucar por não fazer o movimento da maneira correta. “Hoje o acesso à academia é tão fácil quanto ir à farmácia. A partir de R$ 50 por mês, a pessoa consegue fazer uma academia”, diz. “Talvez fique mais barato pagar uma musculação do que sessões de fisioterapia para corrigir uma lesão por não ter feito o exercício direito”, finaliza Santos.