Recém nascido também é gente!

Ainda nos dias de hoje, nota-se uma falta de sensibilidade com o recém-nascido, não só em hospitais, mas também em nossa cultura como um todo, onde o bebê não é visto como um ser capaz de “sentir” o ambiente que o rodeia, o que é um grande engano. Sim, o recém nascido é capaz de se estressar quando esgotam sua paciência. Claro exemplo disso é o filme “Olha quem está falando”, de Any Heckerling, que mostra algumas cenas em que o bebê esbraveja contra algumas situações.

Logicamente que pais, familiares e visitas não querem mal à criança, mas devem entender que ela pode sofrer com alguns dos seus primeiros “contatos sociais”. Qual mãe não se lembra daqueles dias no hospital quando o quarto se enchia de gente e ela queria descansar e entrosar-se com seu filho e não podia? E aquele parente que chega fumando, entope o nariz do bebê e vai embora? E aquela visita que insiste em pegar a criança com as mãos não lavadas; o vovô que fala alto, liga a TV, comenta o jogo e acorda um recém-nascido que levou horas para conseguir dormir; aqueles comportados priminhos que fazem tudo o que é arte para aparecer mais que o recém nascido, além da birra para pegar um pouquinho o primo que só queria mamar, dormir e ter sossego? Ou ainda aqueles que estão gripados, mas fazem questão de dar uma passadinha para a obrigatória visita?

Depois de vários anos assistindo o nascimento de crianças, consegui “ouvir” deles, os mandamentos que transcrevo. Com isto não pretendo dar a última palavra sobre o assunto, mas simplesmente lembrar o óbvio: o recém nascido é um ser humano e merece respeito e cuidados especiais.

  1. Pense na mãe. Provavelmente ela está cansada, sem dormir, pode estar com dores. Com certeza está preocupada em atender ao recém nascido antes de qualquer coisa.
  2. Pense no bebê. Ele ouve, enxerga, sente desconforto com vozes, sons e luzes que não conhece. Ele esta se adaptando a um mundo totalmente estranho. Muito estímulo pode atrapalhar a mamada, piorar a cólica, dificultar pegar no sono.
  3. Faça uma visita cronometrada.
  4. Veja o recém nascido mas não fique no quarto dele. Converse em outra sala.
  5. Não toque no bebê se não for preciso. Se for ajudar, lave as mãos antes de pegá-lo.
  6. Evite a visita no hospital. Ligue parabenizando os pais e deixe a visita para a casa, após a primeira semana.
  7. Se você ou seu filho estiverem com doença infecciosa ou com febre, não se deve visitar o recém nascido.
  8. Se o bebê tiver um irmãozinho ou uma irmãzinha não se esqueça de agradá-lo e elogiá-lo tanto quanto o irmão que nasceu.
  9. Não atrapalhe o aleitamento materno. Deixe a sala se a mãe for amamentar. Estimule a mãe a amamentar. Lembre-se que é muito fácil mandar dar mamadeira  mas é mais amigo ajudar a mãe ter sucesso no aleitamento materno.
  10. Sobre todos os costumes e convenções sociais devem ficar o bem-estar e saúde da mãe e do recém nascido.