Pilates para as futuras mamães

Método melhora a circulação e previne dores lombares nas gestantes

 

O período da gravidez nem sempre é fácil para as mulheres, mas elas podem melhorar o bem estar se praticarem algum exercício físico. Uma vez liberadas pelo seu médico, as gestantes têm uma gama de possibilidades, o que inclui hidroginástica, ioga, pilates. O método criado pelo alemão Joseph Pilates tem atraído cada dia mais adeptas, sobretudo entre aquelas que desejam ter parto normal.

Praticar pilates durante o pré-natal ajuda as mamães a fortalecer o assoalho pélvico, região responsável pela sustentação do bebê. Ao atuar no fortalecimento da área, o pilates previne o enfraquecimento dos músculos pélvicos que pode acarretar escapes de urina ao tossir, respirar ou dar risada.  Os exercícios dão a mulher consciência corporal para ela se concentrar nessa região no momento do parto.

O método também corrige a postura, evitando as dores nas costas, tão comum na gravidez; melhora a circulação, prevenindo varizes e edemas; aumenta o relaxamento, a coordenação motora e a estabilidade articular. Os exercícios de Joseph Pilates ainda enfatizam a respiração, consequentemente, induzem a calma e ao relaxamento, o que melhora o sono e diminui os níveis de cortisol, o hormônio do estresse.

 Além disso, há séries específicas que ajudam o bebê a se movimentar na direção certa para parto normal.  “A prática regular de pilates durante e após a gestação promove uma boa recuperação do trabalho de parto e do parto propriamente dito, ajudando a mulher a readquirir suas formas anteriores”, diz a fisioterapeuta Thânia Moutinho, do estúdio Vidativa Pilates.