Mulher grávida pode praticar atividade física?

Cada vez mais tem sido indicada a prática de atividade física durante a gravidez, de modo a proporcionar um maior bem-estar materno-fetal e também facilitar o parto normal, desde que não haja nenhuma contraindicação médica para a realização dos exercícios.

O Colégio Americano de Ginecologia e Obstetrícia recomenda que gestantes podem realizar exercícios físicos de leve a moderada intensidade e de preferência regularmente, ou seja, ao menos 3 vezes por semana.

Durante a gravidez ocorre uma série de adaptações fisiológicas no organismo da mulher, como alterações nas necessidades calóricas, proteicas e de minerais que demandam um cuidado especial ao se prescreverem exercícios físicos nesta fase, principalmente no caso de mulheres com cardiopatia.  Para a realização de exercícios aeróbicos, como contraindicação absoluta, tem-se o Diabetes tipo I, uso excessivo de álcool, tabagismo, história de aborto espontâneo, gravidez múltipla. Em outras condições como anemia, obesidade, diabetes tipo II ou condicionamento físico inadequado, podem ser praticados exercícios físicos aeróbicos, mas de forma moderada e com acompanhamento médico mais frequente.

Um dos cuidados nesse período é evitar a posição supina (barriga para cima) no 3º trimestre da gravidez, devido à diminuição do débito cardíaco. Exercícios que possuem baixo impacto como andar, natação e ciclismo estacionário, por apresentarem um menor risco de trauma, são mais aconselhados nesse período, além de terem uma maior adesão por parte das gestantes. Outros exemplos de exercícios seriam o Pilates, alongamento e fortalecimento da musculatura lombar e da pelve e hidroginástica.  

Também são necessários nessa fase, para um melhor bem-estar da gestante e também reduzir o risco de complicações, ter uma atenção especial com a hidratação, utilizar roupas que dissipem o calor facilmente, ter um ambiente com temperatura agradável, além de uma dieta que compense a energia dispendida nos exercícios. Exercícios de contato e que tenham impacto devem ser evitados, como por exemplo ginástica acrobática, esquiar, artes marciais, andar a cavalo.

É sempre bom lembrar, que é imprescindível à realização de avaliação cardiológica “antes” de se iniciar qualquer atividade, nunca realizando as atividades sem a referida avaliação e também que o obstetra avalie o risco da realização da atividade para cada caso específico. Também se aconselha que as atividades sejam acompanhadas por um educador físico com experiência nesta área.