Dieta do Shake faz bem à saúde?

Nutricionista explica os malefícios dessa tendência de emagrecimento

Diante de tantos padrões de beleza a serem seguidos e bombardeada por promessas de emagrecimento rápido e saudável, eu me rendi a moda das dietas de shakes. Optei por uma marca famosa no mercado que promete a perda de peso com saúde, mas cobra um preço “salgado”. Fiquei animada em pensar que em pouco tempo caberia novamente em vestidos antigos e retornaria aos meus quilos dos 16 anos, mas depois de dois meses e pouco na dieta ainda não consegui esse resultado. Confesso que substitui corretamente o café da manhã e o jantar pelo shake apenas por 10 dias, isso desconsiderando nos fins de semana onde eu saía da linha. Veja a conversa que tive com a Nutricionista Débora Silveira sobre essa tendência de emagrecimento:

Nany: O sabor do shakes não é dos piores, mas com o tempo fica enjoativo só ficar bebendo duas refeições ao dia. Por que isso ocorre?

Nut. Débora : isso acontece porque o nosso organismo sente a necessidade de mastigação, e a substituição do alimento natural por estas fórmulas líquidas processadas faz com que ocorram os beliscos no dia a dia, que nem sempre são de produtos saudáveis. Substituir duas refeições como almoço ou jantar não é bom, porque são nestes momentos que obtemos nosso melhor aporte proteico e de vitaminas e minerais.  O que acontece, é apenas uma restrição calórica por um período de tempo e não uma mudança de comportamento em relação aos hábitos alimentares.

Nany: E as promessas de que esses shakes têm todas as vitaminas que não conseguimos consumir mesmo que tenhamos alimentação saudável?

Nut. Débora: os shakes apresentam sim certa variedade de vitaminas e minerais, porém não na quantidade necessária para o bom funcionamento do nosso organismo. O que ocorre é um desarranjo nutricional em relação aos macronutrientes, com excesso de carboidrato e proteína, e baixo teor de gordura. Apesar de ser tratada como vilã (o que não é verdade, e sim seu excesso) o lipídio é necessário para absorção de algumas vitaminas como a A, D, E, K, para síntese de hormônios e outras funções orgânicas. Sem contar no baixo valor calórico que não equivale a uma refeição convencional.

Nany: Além de uma possível perda de peso, o que essas dietas milagrosas causam no nosso organismo?

Nut. Débora: As carências de nutrientes causadas pela restrição de alimentos nas dietas, que prometem grandes resultados de maneira rápida , provocam um desequilíbrio orgânico e bioquímico em nosso corpo, acarretando em baixa imunidade e patologias em longo prazo, sendo a anemia e desnutrição um exemplo clássico. Além disso, com a baixa ingestão calórica, para a produção de energia o corpo passa a gastar a glicose estocada, ocasionando a perda de massa magra e água, e não necessariamente de gordura. Se a pessoa é praticante de atividade física é ainda pior, devido ao maior gasto de energia.

Nany: Afinal, como é possível emagrecer de forma saudável?

Nut. Débora: A melhor maneira de atingir um peso saudável é a modificação dos hábitos alimentares e não somente a troca ou exclusão de alimentos. É aconselhável que se tenha uma alimentação balanceada entre os nutrientes, não pular refeições nem ficar longos períodos em jejum. Também deve ser adequada à idade, sexo e estilo de vida.

Além disso, considero que a alimentação saudável vai além do prato colorido e harmonioso repleto de salada e zero de prazer. Devo escolher aquilo que vai me deixar feliz e ao mesmo tempo me fazer bem. Nada me impede de querer comer um pedaço de pizza, uma batata frita, só não posso fazer disso um hábito, porque aí sim seria prejudicial.  Também o sucesso da perda de peso está na integração da alimentação balanceada com a prática de exercícios físicos, sempre orientado por um profissional adequado, no caso o educador físico.