Bom exemplo desde o útero

A alimentação da mãe na gravidez influencia o paladar da criança

 

Todas as mães querem que o filho coma bem ao longo da vida, mas poucas sabem que devem dar o bom exemplo antes mesmo de a criança nascer. Algumas pesquisas já mostram que o paladar do bebê é influenciado ainda no útero pelo que a mãe come.

Um desses trabalhos foi realizado pela Universidade de Denver, nos Estados Unidos, e mostrou que bebês de ratas que tiveram uma dieta mais saborosa durante a gravidez tinham os glomérulos olfativos (estrutura responsável pelo processamento dos odores) mais desenvolvidos. Traduzindo: a cria carrega referências do que “experimentou” por meio do líquido amniótico e tende a gostar mais dos alimentos que a mãe ingeria durante a gestação. Não é incrível?

Mas não é só por isso que a gestante deve cuidar da alimentação. Refeições balanceadas contribuem para um ganho de peso saudável durante a gravidez e evitam complicações, como pré-eclampsia e diabetes gestacional. São indicadas seis refeições por dia, em pequenas porções, sempre contrabalançando fontes de carboidratos, de proteínas e de gorduras, além de frutas e vegetais.

Para a saúde da mãe, é importante consumir alimentos ricos em cálcio, como leite e queijos magros, já que o mineral dos ossos da mulher é usado para constituir os ossos da criança. Para o bom desenvolvimento do filho, vale investir no consumo de fontes de aminoácidos, como carnes e leguminosas, que são fundamentais para a formação e o crescimento das células do bebê, e de alimentos ricos em ômega 3 e 6, como a sardinha e o salmão.

Um grande estudo com 11 mil mulheres, realizado pelos National Institutes of Health, também dos EUA, mostrou que mães que comiam ao menos 340g de peixes por semana tiveram filhos com maior pontuação em testes para habilidades de comunicação,  desenvolvimento motor e relacionamentos sociais.