Aumente a sua qualidade de vida

A prática regular de exercícios ajuda na coordenação e reduz as dores decorrentes de doenças habituais em idosos

 

Quanto antes a pessoa se exercitar, melhor será sua qualidade de vida na velhice. Nessa fase, uma série de mudanças no corpo costuma dificultar movimentos básicos como sentar, levantar, erguer alguma coisa, tomar banho. As pessoas vão perdendo a força muscular e a massa óssea. Consequentemente, sentem dores, ficam com coordenação motora limitada e com doenças típicas da idade. “A musculação traz muitos benefícios. Entre eles, podemos destacar a redução do número de lesões, o aumento do rendimento, e a manutenção da massa muscular, que tende a reduzir após os 50 anos de idade”, diz Ricardo Zenun Franco, médico ortopedista com pós em medicina do esporte.

Segundo o último censo, o de 2010, do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística, a população brasileira com mais de 65 anos já está na casa dos 14 milhões de brasileiros, o que representa 7,4% do total, sendo que em 2000 esta porcentagem não chegava a 6%. Com o envelhecimento vem a preocupação com o bem estar e, neste quesito, a prática regular de exercícios físicos pode ser o melhor aliada.

Praticar esportes com regularidade é recomendado tanto na prevenção e retardamento desses efeitos quanto no tratamento de doenças como a osteoartrose, um processo degenerativo que ocorre em 90% da população adulta e destrói a cartilagem articular. Neste último caso, a atividade física melhora os movimentos, a postura, a flexibilidade e ainda reduz a dor.

No entanto, antes de começar a se exercitar, é fundamental a pessoa passar por uma avaliação médica para saber o que pode e o que não pode fazer. Além disso, o idoso precisa ser orientado por um profissional qualificado – fisioterapeuta ou educador físico –, que entenda suas limitações e passe exercícios sob medida para ele não correr o risco de ter lesões. Para aqueles que têm restrições a impacto, o melhor é optar por modalidades como natação e hidroginástica.